Guia de Estilo da Gengo

1. Pontuação

Aspas (“ ”) ou itálico

Quando há palavras ou expressões populares, gírias, neologismos, estrangeirismos ou arcaísmos.

Exemplos PT>BR:

  1. Há “trombadinhas” nas cidades grandes “batendo carteira” o tempo todo, mas não há providências.
  2. Por favor, antes de sair, faça um “backup”!
  3. Ele mora lá nos “cafundó do Judas”!

Exemplos PT>PT:

  1. Ele é um “lambe botas”, está sempre a fazer as vontades todas ao patrão.
  2. Deveríamos marcar um briefing sobre esse tópico!
  3. Ele mora onde “Judas perdeu as botas”!

Antes ou depois de citações.
Exemplos PT>BR*:

  1. Neste sábado, 31/01/09, o ministro do Trabalho disse o seguinte a respeito do aumento no salário mínimo para R$ 460,00: “Esse aumento representa beneficiar mais de 45 milhões de pessoas, entre aposentados e pensionistas”.
  2. É importante que os países ricos não esqueçam nunca que foram eles que inventaram essa história de que o comércio poderia fluir livremente pelo mundo. Não é justo que agora, que eles entraram em crise, esqueçam o discurso do livre comércio e passem a ser os protecionistas que nos acusavam de ser”, disse Lula no Fórum Social Mundial, em Belém.

* textos retirados ou baseadas em reportagens da Folha Online.

Exemplos PT>PT*:

  1. “Foi cancelado. Está a chover imenso”, disse ao PÚBLICO Maria da Luz Almeida, da Associação de Carnaval da Bairrada, responsável pela organização dos festejos do Entrudo na Mealhada.
  2. O chefe do governo italiano afirmou este domingo que “a União Europeia teme o regresso de Silvio Berlusconi”, caso vença as legislativas no final de Fevereiro, devido ao impacto negativo que tal teria na moeda única.

* textos retirados ou baseadas nos jornais online O Público e O Jornal de Negócios

Para assinalar palavras ou expressões irônicas/irónicas
Exemplo T>BR:

  1. Eles se comportaram “super” bem.

Exemplo PT>PT:

  1. Sim, porque são uns “anjinhos”.

Dois-pontos/Dois pontos ( : )

Em enumerações
Exemplo PT>BR

  1. A mulher foi à feira e levou: dinheiro, uma sacola, cartão de crédito, um porta-níquel, e uma luva. Uma luva?

Exemplo PT>PT:

  1. A Joana gosta de muitos doces, como: chocolates, rebuçados, caramelos, chupas e gomas.

Antes de uma citação
Exemplo PT>BR:

  1. A respeito de fazer o bem aos outros, Confúcio disse certa vez: “O ver o bem e não fazê-lo é sinal de covardia.”

Exemplo PT>PT:

  1. Por toda rigidez acerca dos pensamentos do século XIX, Nietzshie disse: “E falsa seja para nós toda verdade que não tenha sido acompanhada por uma gargalhada”.

Para se esclarecer algo
Exemplo PT>BR:

  1. Ele conquistou o que tanto desejava: uma vaga no TRT de Brasília.

Exemplo PT>PT:

  1. Abriu mão do que mais gostava: acordar tarde. Mas foi recompensado por isso.

No vocativo em cartas, sejam comerciais ou sociais (ou vírgulas)
Exemplo PT>BR/PT>PT:

  1. Querida amiga: (ou ,)

Regresso no próximo mês. Tenho muito para te contar. (…)

Após as palavras: exemplo, observação, nota, importante, etc.
Exemplos PT>BR/PT>PT: 1- Importante: não se esqueça de fechar o frigorífico. 2- Observação: o ponto de interrogação pode indicar surpresa: Mesmo?

Parênteses ( )

Comentário ou explicação a respeito do que se escreve
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. O João (aquele que joga futebol) perguntou-me sobre os golos marcados no jogo!
  2. Eu e ele contaremos as boas novas. (pronomes)

Informações bibliográficas, como: o autor, o nome da obra, o ano de publicação, a cidade, a página, etc.
Exemplos PT>BT/PT>PT:

  1. “O texto será incoerente se seu produtor não souber adequá-lo à situação, levando em conta intenção comunicativa, objetivos, destinatário, regras socioculturais, outros elementos da situação, uso dos recursos linguísticos, etc. Caso contrário, será coerente.” (Ingedore G. Vilhaça Koch e Luiz Carlos Travaglia. A coerência textual. São Paulo: Contexto, 1993. p. 50.)

Nas peças teatrais, quando o autor quer explicitar a ação tomada pela personagem
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. João – Onde estavas?
    Maria – Na padaria. Fui comprar um bolo.
    João – Hum…que delícia…

(Saem abraçados pela direita)

Ponto e vírgula ( ; )

Não tem função nem de ponto final e nem de vírgula, mas é um intermediário entre eles. Ou seja, não há pausa total, nem breve, mas uma moderação entre as duas.

Para separar itens em uma enumeração (comuns em leis)
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Art. 1º A locação de imóvel urbano regula-se pelo disposto nesta Lei. Parágrafo único. Continuam regulados pelo Código Civil e pelas leis especiais:
    a) as locações: 

    1. de imóveis de propriedade da União, dos Estados dos Municípios, de suas autarquias e fundações públicas;
    2. de vagas autónomas de garagem ou de espaços para estacionamento de veículos;
    3. de espaços destinados à publicidade.

Para separar orações coordenadas muito extensas ou que já possuam vírgula
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. “Às vezes, também a gente tem o consolo de saber que alguma coisa que se disse por acaso ajudou alguém a se reconciliar consigo mesmo ou com a sua vida; sonhar um pouco, a sentir uma vontade de fazer coisa boa.” (Rubem Braga)

Para substituir a vírgula, para uma pausa um pouco mais longa
Antes das conjunções adversativas (contudo, mas, porém, entretanto, todavia)

Exemplo PT>BR:

  1. Quero sair mais; pois um casal precisa ter boas amizades.

Exemplo PT>BT:

  1. Amanhã é dia de teste; porém ainda não comecei a estudar.

Ponto-Final/Ponto final (.)

Para uma frase declarativa
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Não quero mais conversas.
  2. Estou à espera e nem sei porquê.

Para finalizar frases imperativas
Exemplos PT>BR/PT>PT

  1. Vá para o quarto de castigo.
  2. Vamos acordar mais cedo.

Nas abreviaturas
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Sr. (Senhor), num. (numeral), obs. (observação), Av. (Avenida), pág. (página), Lab. (laboratório), Med. (Medicina), Mat. (Matemática), Port. (Português), etc.

Ponto de exclamação (!)

Para exclamar como ato de pronunciar em voz alta; bradar, clamar; gritar. Nas frases que exprimem surpresa, felicidade, indignação, admiração, susto.

Nas frases exclamativas
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Isso é muito interessante!
  2. Não podemos continuar assim!

Após imperativos
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Deixe-me!
  2. Vai embora!

Depois das interjeições
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Ui! Ufa! Uau! Boa!

Após locuções interjetivas
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Que bom! Que pena!

Ponto de interrogação (?)

Para interrogar como o ato de perguntar, questionar.

Nas frases interrogativas
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Não quer jantar?
  2. Vai ao cinema?
  3. Não vou não, por quê?

Para indicar um interrogação junto com admiração ou surpresa

Frases interrogativas/exclamativas
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Eu?! Tem a certeza?

Reticências ( ... )

Para interromper um pensamento de forma que o leitor subentenda o que seria enunciado ou imagine
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Ele disse que não queria, mas…
  2. Nada disso teria acontecido se… sabe.

Para indicar hesitações comuns na oralidade
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Não sei se vai, mas…mas…não sei…penso que será muito bom!

Em trechos suprimidos de um texto
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. (…) não existe texto incoerente em si, mas texto que pode ser incoerente em/para determinada situação comunicativa. (…) (Ingedore Villaça – A coerência textual)
  2. (…) Dada a gravidade dos acontecimentos, em um último gesto, Collor reivindicou que a população brasileira saísse às ruas com o rosto pintado de verde e amarelo, em sinal de apoio ao seu governo. Em resposta, vários cidadãos, principalmente estudantes, passaram a sair nas ruas com os rostos pintados. Além do verde amarelo, utilizaram o preto em sinal de repúdio ao governo. Tal movimento ficou conhecido como “Caras Pintadas”. (…) (Rainer Sousa – “O fim do governo Collor”)

Para transmitir mais emoção e subjetividade
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. (…) ‘Stamos em pleno mar… Dois infinitos Ali se estreitam num abraço insano, Azuis, dourados, plácidos, sublimes… Qual dos dois é o céu? qual o oceano?… ‘Stamos em pleno mar. . . Abrindo as velas Ao quente arfar das virações marinhas, Veleiro brigue corre à flor dos mares, Como roçam na vaga as andorinhas… (…)
    (Navio Negreiro – Castro Alves)

Travessão (—)

Para iniciar a fala de uma personagem
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. A menina enfim disse: — Não nos vamos preocupar, porque vamos dar nosso melhor hoje!

Para indicar mudança de interlocutor num diálogo
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. — Vou fazer exercício e preocupar-me mais com minha saúde. — Farei o mesmo.

Para enfatizar alguma palavra ou expressão num texto ou para substituir a vírgula
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. O grupo teatral — muito elogiado pela imprensa — estava a sair do hotel esta manhã. – Luiz Inácio — presidente da república — não se pode candidatar para uma nova eleição!

Vírgula ( , )

Na oração direta (os termos têm a seguinte ordem: sujeito → verbo → complementos do verbo (objetos) → advérbio), isto é, sem inversões ou intercalações, o uso da vírgula é, de modo geral, desnecessário.

Não se usa virgule
Não se usa vírgula separando termos que, do ponto de vista sintático, estão ligados diretamente entre si.

Entre sujeito e predicado
Exemplo PT>BR/PT>PT:

1- Todos os alunos da sala foram advertidos.
Sujeitopredicado

Entre o verbo e seus objetos
Exemplo PT>BR/PT>PT:

1-O trabalho custoumuito sacrifícioaos realizadores.
V.T.D.I.O.D.O.I.

Entre nome e complemento nominal.

Entre nome e adjunto adnominal.

Usa-se a virgule

Para marcar intercalação.
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Adjunto adverbial: O café, em razão da sua abundância, vem caindo de preço.
  2. Conjunção: Os cerrados são secos e áridos. Estão produzindo, todavia, altas quantidades de alimentos.
  3. Expressões explicativas ou corretivas: As indústrias não querem abrir mão das suas vantagens, isto é, não querem abrir mão dos lucros altos.

Para marcar inversão
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Adjunto adverbial (colocado no início da oração): Depois das sete horas, todo o comércio está de portas fechadas.
  2. Objetos pleonásticos antepostos ao verbo: Aos pesquisadores, não lhes destinaram verba alguma.
  3. Nome de lugar anteposto às datas: Recife, 15 de maio de 1982.

Para separar entre si elementos coordenados (dispostos em enumeração).
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Era um garoto de 15 anos, alto, magro.
  2. A ventania levou árvores, e telhados, e pontes, e animais.

Para marcar elipse (omissão) do verbo.
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. Nós queremos comer pizza; e vocês, churrasco.

Para isolar
Exemplos PT>BR/PT>PT:

  1. O aposto: São Paulo, considerada a metrópole brasileira, possui um trânsito caótico.
  2. O vocativo: Ó, Tiago, não diga disparates.

2. Acentuação gráfica

Regras básicas – Acentuação tônica/tónica
A acentuação tônica/tónica significa a intensidade com que são pronunciadas as sílabas das palavras. Aquela que se dá de forma mais acentuada, designa-se como sílaba tônica/tónica. As restantes, como são pronunciadas com menos intensidade, são denominadas de átonas.

De acordo com a tonicidade, as palavras são classificadas como:

Oxítonas/agudas

São aquelas cuja sílaba tônica/tónica recai sobre a última sílaba.
Ex.: café – coração – atum – pardal – papel

Paroxítonas/graves

São aquelas em que a sílaba tônica/tónica se evidencia na penúltima sílaba.
Ex.: útil – tórax – táxi – leque – retrato – passível

Proparoxítonas/esdrúxulas

São aquelas em que a sílaba tônica/tónica se evidencia na antepenúltima sílaba.
Ex.: lâmpada – câmara – tímpano – médico – informática

Como podemos observar, mediante todos os exemplos mencionados, os vocábulos possuem mais de uma sílaba, mas em português existem aqueles com uma sílaba somente: são os chamados monossílabos, que, quando pronunciados, apresentam certa diferenciação quanto à intensidade.

Tal diferenciação só é percebida quando os pronunciamos em uma dada sequência de palavras.

Assim como podemos observar no exemplo a seguir:

“Sei que não vai dar em nada, Seus segredos sei de cor”.

Os monossílabos ora em destaque, classificam-se como tônicos/tónicos; os restantes, como átonos (que, em, de).

Os acentos

Acento agudo (´)

Colocado sobre as letras “a”, “i”, “u” e sobre o “e” do grupo “em” indica que estas letras representam as vogais tônicas/tónicas de palavras como caí, público, parabéns. Sobre as letras “e” e “o” indica, além da tonicidade, timbre aberto.
Ex.: herói – médico – céu

Acento circunflexo (^)

Colocado sobre as letras “a”, “e” e “o”, indica além da tonicidade, timbre fechado.
Ex.: tâmara – Atlântico – pêssego – supôs

Acento grave (`)

Indica a fusão da preposição “a” com artigos e pronomes.
Ex.: à – às – àquelas – àqueles

Trema (¨)

De acordo com a nova regra, foi totalmente abolido das palavras. Há uma exceção: é utilizado em palavras derivadas de nomes próprios estrangeiros.
Ex.: mülleriano (de Müller)

Til (~)

Indica que as letras “a” e “o” representam vogais nasais.
Ex.: coração – melão – órgão – ímã

3. Novo Acordo (PT>BR e PT>PT)

Alfabeto
Com a inclusão das letras «k», «w» e «y», o alfabeto passa a ser constituído por 26 letras.

Regras fundamentais do novo acordo para PT>BR

Oxítonas

Acentuam-se todas as oxítonas terminadas em: “a”, “e”, “o”, “em”, seguidas ou não do plural(s):
Pará – café(s) – cipó(s) – armazém(s)

Essa regra também é aplicada aos seguintes casos:

Monossílabos tônicos terminados em “a”, “e”, “o”, seguidos ou não de “s”.
Ex.: pá – pé – dó – há

Formas verbais terminadas em “a”, “e”, “o” tônicos, seguidas de lo, la, los, lãs.
Ex.: respeitá-lo – percebê-lo – compô-lo

Paroxítonas

Acentuam-se as palavras paroxítonas terminadas em:

– i, is
Ex.: táxi – lápis – júri

– us, um, uns
Ex.: vírus – álbuns – forum

– l, n, r, x, ps
Ex.: automóvel – elétron – cadáver – tórax – forceps

– ã, ãs, ão, ãos
Ex.: ímã – ímãs – órfão – órgãos

-ditongo oral, crescente ou decrescente, seguido ou não de “s”
Ex.: água – pônei – mágoa – jóquei

Regras especiais
Os ditongos de pronúncia aberta “ei”, “oi”, que antes eram acentuados, perderam o acento de acordo com a nova regra.
Ex.:

Antes AcordoDepois Acordo
assembléiaassembleia
idéiaideia
geléiageleia
jibóiajiboia
apóia (verbo apoiar)apoia
paranóicoparanoico

Nota​: O acento das palavras herói, anéis, fiéis ainda permanece.

Quando a vogal do hiato for “i” ou “u” tônicos, acompanhados ou não de “s”, haverá acento:
Ex.: saída – faísca – baú – país – Luís

Não serão mais acentuados “i” e “u” tônicos, formando hiato quando vierem depois de ditongo.
Ex.:

Antes AcordoDepois Acordo
bocaiúvabocaiuva
feiúrafeiura
SauípeSauipe

O acento pertencente aos hiatos “oo” e “ee” que antes existia, agora foi abolido.
Ex.:

Antes AcordoDepois Acordo
crêemcreem
lêemleem
vôovoo
enjôoenjoo

Não se acentuam o “i” e o “u” que formam hiato quando seguidos, na mesma sílaba, de l, m, n, r ou z:

Ex.: Ra-ul, ru-im, con-tri-bu-in-te, sa-ir, ju-iz

Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se estiverem seguidas do dígrafo nh:
Ex.: ra-i-nha, ven-to-i-nha

Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se vierem precedidas de vogal identical
Ex.: xi-i-ta, pa-ra-cu-u-ba

No entanto, tratando-se de palavra proparoxítona haverá o acento, já que a regra de acentuação das proparoxítonas prevalece sobre a dos hiatos: Ex.: fri-ís-si-mo, se-ri-ís-si-mo

As formas verbais que possuíam o acento tônico na raiz, com “u” tônico precedido de “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i” não serão mais acentuadas.
Ex.:

Antes AcordoDepois Acordo
apazigúe (apaziguar)apazigue
averigúe (averiguar)averigue
argúi (arguir)argui

Acentuam-se os verbos pertencentes à terceira pessoa do plural de:
Ex.: ele tem – eles têm
ele vem – eles vêm

A regra prevalece também para os verbos conter, obter, reter, deter, abster.
Ex.: ele contém – eles contêm
ele obtém – eles obtêm
ele retém – eles retêm
ele convém – eles convêm

Não se acentuam mais as palavras homógrafas que antes eram acentuadas para diferenciá-las de outras semelhantes. Apenas em algumas exceções, como:

A forma verbal pôde (terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do modo indicativo) ainda continua sendo acentuada para diferenciar-se de pode (terceira pessoa do singular do presente do indicativo). O mesmo ocorreu com o verbo pôr para diferenciar da preposição por.

Palavras homógrafas

Ex.: pola (ô) substantivo – pola (ó) substantive
polo (s) (substantivo) – polo (s) (contração de por + o)
pera (substantivo) – pera (preposição antiga)
para (verbo) – para (preposição)
pelo(s) (substantivo) – pelo (do verbo pelar)
pela, pelas (substantivo e verbo) – pela, pelas (contração de preposição +artigo)

Regras fundamentais do novo acordo para PT>PT

Consoantes

— As consoantes «c» e «p» são eliminadas em todas as palavras em que não são pronunciadas

cc ➔ cacionar
cç ➔ çredação
ct ➔ tprojeto
pc ➔ cexcecional
pç ➔ çadoção
pt ➔ tEgito

— As mesmas consoantes são conservadas quando se pronunciam

ccperfeccionismo
convicção
ctfacto
pcegípcio
opção
ptapto

— Quando se elimina o «p» nas sequências «mpc», «mpç» e «mpt», o «m» passa a «n»

mpc ➔ ncassuncionista
mpç ➔ nçassunção
mpt ➔ ntperentório

— Admite-se a dupla grafia quando existe oscilação na pronúncia

sector ou setor
característica ou caraterística
acupunctura ou acupuntura
caracteres ou carateres

Acentuação

— São eliminados alguns acentos que serviam para distinguir palavras que se escrevem do mesmo modo mas que têm pronúncias, significados e funções diferentes.

para (verbo parar)
pelo
pera
polo

O acento continua a ser obrigatório em «pôde» (pretérito perfeito do indicativo) para diferenciar de «pode» (presente do indicativo) e em «pôr» (infinitivo) para diferenciar de «por» (preposição).

— É eliminado o acento no ditongo «oi» em palavras graves

troica
heroico
joia
boia

Nota​: Nas palavras agudas e monossilábicas, o ditongo «oi» continua a ser acentuado.
Exemplo: herói / dói.

— É eliminado o acento nas formas verbais terminadas em «eem»

creem
deem
leem
veem
descreem
desdeem
releem
reveem

Nota​: Os verbos «ter» e «vir» e seus derivados continuam a ser acentuados na 3.ª pessoa do plural. Exemplo: têm / vêm).

— É eliminado o acento na letra «u» no caso das terminações verbais «gue», «que», «gui» e «qui»

averigue
oblique
argui
delinqui

— Admite-se a dupla grafia nos seguintes casos:

na 1.ª pessoa do plural do pretérito perfeito dos verbos da 1.ª conjugação

passámos ou passamos
aprovámos ou aprovamos

na 1.ª pessoa do plural do presente do conjuntivo do verbo «dar»

forma ou
fôrma

no nome feminino que significa «molde» ou «recipiente»

dêmos ou
demos

Hifenização

Supressão do hífen

O hífen é eliminado nos seguintes casos:

— Quando as palavras formadas por prefixos ou falsos prefixos terminam em vogal e o segundo elemento começa por «r» ou «s», duplicando-se a consoante

antirrevolucionário
ultrassecreto
contrarreação

— Quando as palavras formadas por prefixos ou falsos prefixos terminam em vogal e o segundo elemento começa por vogal diferente

extraescolar
autoestrada
agroindustrial

— Quando as palavras são formadas pelo prefixo «co», mesmo nos casos em que o segundo elemento começa por «o»

coadministração
codireção
coocorrência

— Com as formas monossilábicas do verbo «haver» seguidas da preposição «de»

hei de
hás de
há de
heis de
hão de

— Em compostos em que se perde a noção de composição

paraquedas
mandachuva

— Em locuções de uso geral

cartão de visita
mandachuva

fim de semana

Uso do hífen

Algumas regras do uso do hífen são sistematizadas.

O hífen é usado nos seguintes casos:

— Quando as palavras formadas por prefixos ou falsos prefixos terminam em vogal e o segundo elemento começa pela mesma vogal

anti-inflamatório
auto-observação
contra-almirante
micro-ondas

— Quando as palavras são formadas pelos prefixos «hiper», «inter» e «super» no caso em que o segundo elemento começa por «r»

híper-realista
Inter-regional
Super-revista

— Quando as palavras são formadas por prefixos ou falsos prefixos e o segundo elemento começa por «h»

super-homem
neo-helénico

— Quando as palavras são formadas pelos prefixos “ex”, “pós”, “pré”, “pró” e “vice”:

ex-deputado
pós-graduação
pré-escolar
pró-europeu
vice-presidente

— Quando as palavras são formadas pelos prefixos “circum” e “pan” e o segundo elemento começa por vogal, “h”, “m” ou “n”:

circum-hospitalar
circum-navegação
pan-africano
pan-helênico

— Em topônimos iniciados pelos adjetivos “grã” e “grão” ou cujos elementos estejam ligados por artigo:

Grã-Bretanha
Grão-Pará
Albergaria-a-Velha
Montemor-o-Novo
Trás-os-Montes

 

— Em palavras compostas que designam espécies botânicas ou zoológicas:

feijão-verde
ervilha-de-cheiro
andorinha-do-mar
cobra-capelo

 

— Em palavras compostas formadas por elementos de natureza nominal, adjetival, numeral ou verbal:

decreto-lei
azul-escuro
primeiro-ministro
conta-gotas

4. Gramática

Maiúsculas e minúsculas

Embora o emprego de letras maiúsculas e minúsculas, aparentemente, seja usado pelas pessoas com diferentes finalidades, principalmente quando se deseja destacar ou não alguma palavra em um texto, é fundamental entendermos que há regras a que estas são submetidas.

Deve-se usar inicial minúscula:
1) Nos nomes dos dias, meses e estações do ano.
Exemplos:
novembro, outono, quarta-feira, etc.

2) No uso de fulano, sicrano, beltrano.
Exemplo:
Ele disse que o fulano não quer mais falar sobre esse assunto.

3) Nos pontos cardeais (mas suas abreviaturas devem ser em maiúsculas).
Exemplos:
norte, sul, leste, etc.

4) Na designação de idioma ou nacionalidade.
Exemplos:
Ele é português e só fala português, não fala inglês nem espanhol.

Deve-se usar inicial maiúscula:

1) Nos nomes próprios de pessoas reais ou fictícias.
Exemplos:
João Manuel; Chapeuzinho Vermelho, Dom Quixote, etc.

2) Nos nomes próprios de lugares reais ou fictícios.
Exemplos:
São Paulo, Rio de Janeiro, Maputo, Atlântida, Lisboa, Estados Unidos, etc.

3) Nos nomes de seres que recebem ou adquirem nomes humanos ou mitológicos.
Exemplos:
Adamastor, Netuno, etc.

4) Nos nomes que designam instituições.
Exemplos:
Instituto Ayrton Senna, Instituto Paulo Freire, Instituto Camões, etc.

5) Nos nomes de festas e festividades.
Exemplos:
Natal, Páscoa, Todos os Santos, entre outros.

6) Nos nomes de jornais, que não usem itálico.
Exemplos:
O Estado de São Paulo, Vale Paraibano, Correio da Manhã, O Público, etc.

7) Nos nomes dos pontos cardeais, quando designam regiões:
Exemplos:
Os povos do Oriente; o falar do Norte é diferente do falar do Sul; a guerra do Ocidente; etc.

8) Em siglas, símbolos ou abreviaturas internacionais ou nacionalmente reguladas com maiúsculas, iniciais, mediais, finais ou o todo em maiúsculas.
Exemplos:
FAO, OTAN, ONU; H2O, Sr., V. Ex.ª, entre outros.

Uso facultativo de iniciais maiúsculas ou minúsculas (mantendo um só padrão por serviço):

1) Nas formas de tratamento de cortesias, expressões de reverência, títulos honoríficos e palavras sagradas.
Exemplos:
Doutor, bacharel, Cardeal, santa Maria, entre outros.

2) Nos nomes que designam domínios do saber, cursos e disciplinas.
Exemplos:
português, Matemática, línguas e Literaturas Modernas, etc.

3) Em palavras usadas com reverência, denotem hierarquia e nomes de ruas e palácios.
Exemplos:
rua ou Rua da Liberdade, igreja ou Igreja do Bonfim, palácio ou Palácio da Cultura, edifício ou Edifício Azevedo Cunha, entre outros.

No Novo Acordo Ortográfico, a letra maiúscula também pode ser empregada para dar destaque às sentenças que se desejar, como ocorre em nomes de filmes, livros, títulos de artigos e afins.

Formatos de datas e horas

Datas
Em português, as datas devem ser escritas da seguinte forma:
22 de outubro de 2016 (dia – mês – ano).

InglêsPortuguês
Save 50% when you sign up by February 28, 2016.Poupe até 50% ao fazer a inscrição até 28 de fevereiro de 2016.
22nd October 201622 de outubro de 2016
22nd October, 201622 de outubro de 2016
May 14th, 201614 de maio de 2016
3/14/201614/03/2016

 

Horas
Em português brasileiro, o formato de 24 horas é mais comum que o de 12 horas.
Portanto, usamos um sinal de dois pontos como divisor.

Abreviatura para horas: h
Abreviatura para minutos: min
Abreviatura para segundos: s

Os horários também podem ser escritos por extenso: horas, minutos, segundos.

InglêsPortuguês
Monday-Friday, 9:30am-5:00pm ESTDe segunda a sexta, das 10:00 às 17:30 (hora da costa leste dos EUA)

Dias da semana e meses do ano

Dias da semana
segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira, sábado, domingo

Meses do ano
janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho, julho, agosto, setembro, outubro, novembro, dezembro

Medidas e distâncias

Deixe sempre um espaço entre o número e a unidade de medida correspondente, mesmo que isso não tenha sido feito no texto original. Além disso, deve-se perguntar ao cliente se ele deseja que as unidades de medida sejam convertidas.

InglêsPortuguês
Also, the file size of your photo must be less than 100kb.Além disso, o tamanho do arquivo da foto deve ser inferior a 100 kb.
1GB1 GB
256kbps256 kbps
(87 kilometers away)(A 87 km de distância)
(87 kilometers away)(A 87 quilômetros de distância)
(113 miles away)(A 113 milhas de distância)

Moedas

Cuidado ao traduzir do inglês! Em português do Brasil, o uso de vírgulas (,) e pontos (.) expresso em algarismos é exatamente o oposto do usado nos Estados Unidos.

Usa-se um ponto (.) em vez de uma vírgula (,) para representar milhares, e uma vírgula (,) em vez de um ponto (.) para representar frações.

Normalmente, um valor em reais é escrito como R$, portanto, R$ 6,00 (com uma vírgula) equivale a seis reais e R$ 6.000 (com um ponto) equivale a seis mil reais.

Do mesmo modo, para quantidades com frações (centavos), é 1.045,25 em vez de 1,045.25 (mil e quarenta e cinco reais e vinte e cinco centavos) ou R$ 10,25 em vez de R$ 10.25 (dez reais e vinte e cinco centavos).

5. Estilo

Informal vs. formal

As traduções devem refletir com precisão o significado e o estilo de redação do texto original. Dependendo do contexto, um estilo de redação informal (que exagera determinadas palavras ou letras e/ou usa gíria) é aceitável. Os tradutores devem usar de bom senso ao escolher um estilo de redação. Em caso de dúvida, pergunte ao cliente qual estilo ele prefere.

Abreviaturas
Evite abreviar palavras, a menos que seja necessário a fim de manter o estilo original do texto. Dependendo do grau de informalidade do texto original, as abreviaturas são permitidas. Em caso de dúvida, pergunte ao cliente qual estilo ele prefere.

6. Formato

Estrutura geral

A estrutura geral e o uso de quebras de parágrafo ou quebras de linha (independentemente do formato da tradução: texto ou arquivo) devem ser completamente iguais ao material original.

Exemplos:

  • Se o texto original tem 3 parágrafos, a tradução também deve ter.
  • Não transforme uma lista em um parágrafo, ou vice-versa.
  • Use a pontuação mais adequada ao traduzir para o português, pois o material original pode conter pontuação ou símbolos do idioma-fonte.

Traduções baseadas em texto
As caixas de texto de tradução no site da Gengo não fornecem suporte para HTML, portanto, a consistência de tipo, tamanho, cor e estilo de fonte não se aplicam.

Traduções baseadas em arquivos
Use o mesmo tipo, tamanho e cor de fonte do texto original.

Mantenha os estilos de fonte apropriados (negrito, itálico, sublinhado) conforme utilizados no texto original.

Uma tradução pode ser mais longa do que o texto original e criar problemas de formatação. Os tradutores deverão se esforçar para manter um formato apresentável no texto final, contudo, não são responsáveis pela formatação complexa do documento.

7. Colchetes triplos

Colchetes triplos: [[[exemplo]]]
Os colchetes/parênteses retos são um recurso para clientes que queiram excluir determinadas palavras, nomes e URL de sites do processo de tradução.

Por favor, não traduza nada escrito entre os colchetes e mantenha os colchetes.

Exemplo:
Post recommendations to [[[@deyto]]] and [[[@sarah_ross]]]
Publicar recomendações para [[[@deyto]]] e [[[@sarah_ross]]]

Fontes:

www.brasilescola.com
www.novaortografia.com
www.brazil-help.com
www.portaldalinguaportuguesa.org
www.aulete.com.br
Guia para a nova ortografia da língua portuguesa da Assembleia da República